Vereadores fazem moção de repúdio

No último dia 27 de Setembro, durante à tarde, na Av. Marechal Humberto Castelo Branco, em Pinheiros, no canteiro central da avenida, estavam os vereadores Polaco Moura e Tiago do Néio, acompanhados da Radialista Alcione Batista e do jovem Tiago Rodrigues Souza, reunidos conversando, enquanto aguardavam a visita do candidato à deputado federal João Fadel, que estava no interior de uma residência.

Nesse meio tempo, o senhor Reinaldo Langner, vulgo `Nardo´, por razões ignoradas, presumivelmente por questões politicas, na direção de um veículo caminhão, simplesmente jogou o caminhão em cima dos vereadores e das demais pessoas que ali estavam reunidas, forçando-as pular pra trás no intuito de evitar acidente e quem sabe ceifar-lhes a vida ou lesionar a integridade física.

Em seguida, de forma acintosa e desproposital, também jogou o caminhão pra cima de outras pessoas que estavam próximas, num ato injustificável e sem qualquer motivo lógico e racional que minimamente pudesse amparar seu gesto.

A conduta da mencionada pessoa expôs à perigo direto e iminente a vida dos outros que estavam no local. As vitimas foram potencialmente expostas ao perigo iminente e direto, numa situação de risco real, não presumido, experimentando uma circunstância muito próxima de dano à sua incolumidade física.

Não se sabe o porquê de tamanha ira, acreditando-se que tal fato se deva unicamente à motivação politica, eleitoral, possivelmente contrária aos interesses do agressor, pois todas as vitimas estavam fazendo campanha em prol do candidato João Fadel, também presente na ocasião, porém, não no local do fato, já que estava em visita no interior de um domicilio situado nas imediações.

Mas, de qualquer forma, seja qual motivo que levou este cidadão assim proceder não se admite sob qualquer pretexto o atentado à vida e a incolumidade de outrem, pois isso significa uma ameaça à integridade física, inaceitável dentro de uma sociedade em que todos devemos nos respeitar reciprocamente, nos guiarmos por padrões éticos e de respeito mútuo.

O ato já seria censurável sob qualquer hipótese, mas ganha relevo maior quando se trata de um funcionário municipal, ocupante de cargo de confiança do senhor Prefeito Municipal, na medida que desencadeia sua fúria ofensiva à vida de dois vereadores, Polaco Moura e Tiago do Néio, legítimos representantes da população, além de outras pessoas que estavam no local, que de maneira livre, democrática estavam exercitando o direito de fazer campanha à favor de determinado candidato, contudo, poderiam fazer para qualquer candidatura que lhes demonstrasse agrado ou identidade com as propostas, seja de partido ou interesses políticos, ideológicos, filosóficos, enfim, seja qual for a razão deve ser respeitada por todos os demais cidadãos e autoridades, porque isso é da essência do regime democrático que vivemos, garantia prevista para qualquer um, sem qualquer restrição ou intolerância politica ou de espécie alguma.

Assim, não podemos deixar de registrar esse fato lamentável que depõe contra a liberdade de qualquer pessoa, seja de quem for, comportamento movido pelo mais absoluto, vil e desprezível desapreço que se se deve tratar qualquer ser humano.

“Com efeito, queremos registrar nosso repúdio pelo acontecimento visto no final da tarde do último dia 27 de setembro, em plena campanha eleitoral, quando os vereadores nominados, companheiros de trabalho, foram vitimas de um atentado não só às suas vidas, mas ao direito e a liberdade que deve reinar no transcorrer de festas da democracia que temos de quatro em quatro anos, quando exteriorizamos nossa confiança e apostas num futuro melhor, sintetizadas na escolha desse ou daquele candidato, não podemos permitir que ações como verificadas contamine e amedronte a liberdade desfrutada, conspurcando contra a legitimidade, serenidade, respeito ao próximo, valores tão caros e que deve ser solidamente enaltecidos”, concluem os vereadores.

Vereadores