REQUERIMENTO Nº 010 DE 2016

(Do Sr. Vanderlei Borges de Lima)

Senhor Presidente,

Senhores Vereadores,

Considerando que, nas últimas décadas, o Brasil vem sofrendo com o grande número de casos de dengue que são transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti;

Considerando que atualmente são conhecidos quatro tipos de vírus existentes no país, sendo o que provoca a manifestação hemorrágica a mais perigosa para a população, de modo que, se os infectados não receberem o tratamento adequado, podem ir à óbito rapidamente;

Considerando a existência de novas doenças provocadas pelo mesmo mosquito transmissor da dengue, como febre, cansaço, mal estar, dor de cabeça, entre outros, diferenciando-se principalmente por causar dores e inflamações nas articulações que podem durar certo tempo para desaparecer;

Considerando que uma das maiores preocupações da população, principalmente das mulheres grávidas é o zika vírus, devido à descoberta da ligação do mesmo com o aumento no número de casos de microcefalia no país e que o vírus também é transmitido pela picada do aedes aegypt portador;

Considerando que, para o controle mais eficiente dos casos de dengue, de chikungunya e do zika vírus, é necessária a participação de toda a população e do poder público no seu combate, pois todos estão sujeitos ao mosquito, que pode nascer em um local e facilmente migrar para outro, carregando os vírus para todos os lugares;

Considerando que a melhor forma de prevenir essas doenças é a eliminação do vetor, ou seja, eliminar o mosquito e, como não existem vacinas ou medicamentos que impeças a contaminação, é necessários diminuir a quantidade de mosquitos que circulam nos ambientes e, para isso, é fundamental eliminar os do Aedes
Aegypti, que coloca seus ovos em recipientes com água parada;

Requeiro à Mesa, com fundamentos nos preceitos regimentais e ouvido o douto Plenário, que seja, oficiado ao senhor Prefeito Municipal sobre quais providências estão sendo tomadas para o controle efetivo de possíveis criadores do mosquito transmissor da dengue, da chikungunya e do zika vírus;

Requeiro quantos imóveis foram visitados no que concerne ao combate ao mosquito Aedes Aegypti e quantos foram notificados por não atenderem as indicações da vigilância para combater o referido vetor.

Requeiro, finalmente, que nos seja enviado o cronograma das ações da Vigilância Epidemiológica Municipal concernentes ao combate do mosquito Aedes Aegypti para ano de 2016.

Plenário Rubens Calazans Luz, 25 de fevereiro de 2016.

Vanderlei Borges de Lima
Vereador