Neguinho quer explicação do Banco do Brasil

Neguinho1O presidente da Câmara Marins Cruz dos Santos (Neguinho das Queimadas) pediu uma reunião com a Diretoria Regional do Banco do Brasil, com o objetivo de tentar agilizar a inauguração da nova sede da agência em Apiaí.

No dia 03 de dezembro de 2015 houve um assalto na agência e as atividades foram totalmente paralisadas em face do fechamento do banco situado na Rua Dr. Gabriel Ribeiro dos Santos. Contudo, a instituição financeira estava na iminência de inaugurar uma nova sede que funcionará no Calçadão Tenente Cel. Meira, em prédio especialmente construído para receber as novas instalações da agência, que inclusive na data do assalto a edificação já estava concluída.

Desde a ocorrência, o atendimento aos usuários do banco deixou de ser realizado, transferindo de maneira precária para a agência dos Correios, que atua como correspondente bancário. Contudo a situação impôs enormes constrangimentos aos clientes do banco, beneficiários da Previdência Social e outros serviços ligados à instituição, pois, além de gigantescas filas que se formam diariamente na agência dos Correios, gerado com os serviços postais, agora, agravado com a sobrecarga do atendimento dos usuários do Banco do Brasil.

“Os usuários são obrigados a enfrentar horas intermináveis de filas, por vezes para realização de um simples saque, depósito ou singelas operações que poderiam ser realizadas nos terminais eletrônicos do banco. O aposentado que recebe seu benefício tem que se sujeitar às filas e outros transtornos. Os agricultores estão enfrentando dificuldades no encaminhamento de seus pedidos de financiamento agrícola, enfim, a falta de serviço do banco está gerando prejuízo e constrangimento que poderia ser evitado com a inauguração da nova agência”, explica o vereador Neguinho.

Por esse motivo o presidente da Câmara está reivindicando que os canais competentes do banco determinem as providências necessárias para a transferência para a nova sede, que está pronta. Além disso, o município é um polo de uma microrregião composto por Apiaí, Ribeira, Itaoca, Itapirapuã Paulista e Barra do Chapéu, que congrega uma população superior a 60.000 habitantes, todos unidos em termos econômicos, sociais, comerciais à cidade de Apiaí.